quarta-feira, 5 de junho de 2019

MAIO QUENTE E EXTREMAMENTE SECO EM PORTUGAL CONTINENTAL

MAIO QUENTE E EXTREMAMENTE SECO EM PORTUGAL CONTINENTAL
maio quente2019-06-05 (IPMA)
Maio classificou-se como muito quente em relação à temperatura do ar e extremamente seco em relação à precipitação (Figura 1).
Foi o 7º maio mais quente desde 1931 e o 4º desde 2000. O valor da temperatura máxima do ar, foi o 2º mais alto desde 1931 (mais alto em 2015).
Durante o mês correu uma onda de calor, com início a 22 de maio e que se prolongou até aos primeiros dias de junho a qual abrangeu quase todo o território (Figura 2) e, nos dias 30 e 31 de maio, foram ultrapassados os anteriores maiores valores da temperatura máxima do ar em algumas estações meteorológicas do litoral.
Foi o 6º mês de maio mais seco desde 1931 (mais seco em 1991) e o 3º mais seco desde 2000, depois de 2006 e 2003. Desta forma a situação de seca meteorológica agravou e no final de maio quase rodo o território estava em seca (Figura 3): 2.5 % na classe de seca extrema, 27.9 % na classe de seca severa, 22.4 % na classe de seca moderada, 46.1 % na classe de seca fraca e 1.8 % na classe normal.

 

Imagens associadas

  • Figura 1: Distribuição de temperatura e precipitação mês de maio desde 1931 até 2019
    Figura 1: Distribuição de temperatura e precipitação mês de maio desde 1931 até 2019
  • Figura 2: Onda de calor de 22 de maio a 03 de junho de 2019
    Figura 2: Onda de calor de 22 de maio a 03 de junho de 2019
  • Figura 3: Índice de seca PDSI
    Figura 3: Índice de seca PDSI
 

Siga-nos no:

Sem comentários:

Publicar um comentário